terça-feira, 6 de setembro de 2011

O Amigos do Morro do Espelho e o Plano Diretor

“Amigos do Morro do Espelho” é um movimento sem qualquer vinculação partidária, que busca participar da vida da cidade, questionando, formulando proposições e buscando contribuir para tornar São Leopoldo uma cidade melhor de se viver.


O “Amigos” iniciou a partir de uma causa: a preservação do Bosque São Francisco de Assis. Ele está sob a ameaça de ser destruído para a construção de duas grandes torres de apartamentos.


Para aqueles que não acompanharam nosso movimento desde o início, apresentamos mais uma vez o Bosque:



É uma área de 9.000 m² e se constitui num dos últimos recantos verdes situados na área central da cidade. O microclima do centro, depende da manutenção deste bosque para que as temperaturas no verão não subam ainda mais, para que o ar que se respira nesta região seja menos poluído, para que árvores nativas centenárias sejam preservadas e para que continue sendo um habitat para dezenas de espécies de pássaros.


No entanto, logo percebemos que a ameaça ao Bosque São Francisco não era um fato isolado.
Isso ocorre por existirem hoje muitas situações provocadas pela falta de planejamento urbano, o que gera também vários outros problemas seríssimos. São aspectos negativos que afastam a população de São Leopoldo da possibilidade de viver numa cidade mais humana, com características acolhedoras. Nós achamos que todos podem e merecem viver em uma cidade bem melhor.

E o Plano Diretor?


Plano Diretor é um documento com determinações definidas em consenso e que estabelece princípios, diretrizes e normas a serem utilizadas nas decisões a respeito do processo de desenvolvimento urbano. E os objetivos de tais determinações devem sempre apontar para uma cidade com a máxima qualidade de vida.


É devido ao atual Plano Diretor que São Leopoldo corre o risco de perder mais uma importante área verde em favor de dois grandes edifícios: O BOSQUE SÃO FRANCISCO DE ASSIS

Um Plano Diretor deve responder a uma questão:
Que cidade queremos para o futuro?


Essa resposta deve satisfazer aos anseios da população e não de certos interesses econômicos e privados.

Mas no entanto, neste momento, o Plano Diretor está sofrendo uma revisão, sem a real participação da sociedade leopoldense. Fica então uma outra pergunta: será que as construtoras também estão de fora dessa discussão? Ou elas estão representadas, defendendo seus interesses?


Uma discussão aberta e transparente do Plano Diretor, que permita de fato a participação da população é o que obriga a lei federal “ESTATUTO DAS CIDADES”. Isto está sendo cumprido?


Você sabia que o atual Plano Diretor permite a construção de edifícios em qualquer bairro de São Leopoldo? O sol que ilumina sua casa ou apartamento está seriamente ameaçado. A brisa que refresca seu final de tarde de verão poderá acabar.  Isto já está acontecendo por toda a parte.


São muitos os pontos que podem estar sendo revisados à revelia dos leopoldenses. Não é possível que uma cidade continue sendo planejada, segundo os interesses econômicos de alguns poucos beneficiados.
Esperamos que o senhor prefeito torne público o que está sendo revisado no Plano Diretor, de que forma isto está sendo realizado, quem são as representações que integram o grupo de trabalho e que crie mecanismos transparentes e democráticos, permitindo assim, um debate público sobre este importante tema.

0 comentários: