terça-feira, 30 de novembro de 2010

NOTA DE REPÚDIO

O movimento e associação Amigos do Morro do Espelho, formaliza e torna público através desta nota, seu repúdio ao prevalecimento de uma bem conhecida construtora desta cidade por se utilizar do "Jornal Ecológico" em sua edição nº 80, de novembro de 2010, ao publicar na página 9, um informe publicitário, anunciando que pretende destruir 70% de um dos últimos redutos de mata nativa da cidade, o Bosque São Francisco de Assis, em favor da construção de dois prédios de 17 andares. Esta afirmação já foi publicada no Jornal VS em uma pequena nota na edição do dia 9 de novembro passado.
Neste anúncio do "Jornal Ecológico", a construtora se define como uma empresa com "consciência ecológica e preocupação ambiental".
Somente quem não conhece a história da construção do edifício Goldenville, empreendimento também de responsabilidade desta empresa, pode ainda ter dúvidas de como na verdade ela trata as questões ligadas ao meio-ambiente.
Já naquela ocasião, a referida empresa removeu parte significativa de uma área verde no bairro Morro do Espelho, dentro de uma região definida até hoje pela prefeitura municipal, como área de interesse do município.
Estamos questionando o poder público, através das secretarias de meio-ambiente e planejamento, se pretendem de fato conceder oficialmente todas as licenças para esta obra que insulta a população de São Leopoldo. É pretensão da atual gestão desta cidade tornar-se co-responsável pela destruição do Bosque São Francisco?
Lamentamos profundamente que o "Jornal Ecológico" tenha absurdamente sido utilizado para uma publicação de tal infâmia, e que esta construtora ainda adote técnicas de persuasão ultrapassadas, numa matéria de escrita barata, enganosa, que insulta a inteligência da população, nos fazendo lembrar os índios da descoberta do Brasil, que trocavam morros por espelhos e outras quinquilharias baratas, de mal gosto. Esta empresa demonstra de forma cada vez mais clara sua conduta vergonhosa para alcançar seus objetivos insaciáveis.
Nós do Amigos do Morro do Espelho estamos empenhados em denunciar justamente este comportamento predador da construtora e nos foi oferecido através desta publicação, uma rica oportunidade para isso.

2 comentários:

Simone Palmeiro disse...

Se a construtora estivesse realmente preocupada com o meio ambiente nunca teria comprado esse terreno para a construção naquele local.

Marcelo Hernandez Borba disse...

No texto publicado no tal jornal, essa empresa coloca: "Preservar o patrimônio social de São Leopoldo, o meio ambiente, e buscar alternativas para que o progresso e consciência cultural e ecológica caminhem juntos sempre foi o pilar fundamental da história que a construtora vem escrevendo ao longo de 25 anos..."
Cidadãos de São Leopoldo: em resumo, essa empresa julga a todos nós verdadeiros palhaços e pretende impor uma imagem de empresa ecológica na base da força. É muito menosprezo para com a inteligência das pessoas!